Robô Sexual - Inovações Tecnologia - Manual do Casal Hype
Tecnologia

Os robôs sexuais e como esta tecnologia pode impactar o seu relacionamento

O avanço da tecnologia tem se mostrado cada vez mais rápido a medida que novos projetos, invenções e descobertas estão tomando o mercado. Esse crescimento não iria demorar para se aproximar das nossas ações mais pessoais, como os relacionamentos, e agora também é uma realidade na própria sexualidade humana.

Atualmente nos EUA os robôs sexuais estão se tornando uma conversa recorrente sobre o futuro do sexo e relacionamentos. Já existem robôs disponíveis no mercado, criados para proporcionar companhia e prazer sexual aos seres humanos e acredita-se que em 50 anos fazer sexo com robôs será uma prática habitual.

Mas o que este avanço da tecnologia sexual pode impactar nos relacionamentos reais? É o que vamos procurar entender, sob uma análise desse mercado, o quanto isso pode impactar a mente humana, interferir nas relações atuais e por que esta demanda surgiu. É complexo, mas vale a pena refletirmos sobre o assunto, que será muito real em menos tempo do que se imagina.

O que são robôs sexuais?

Os idealizadores e criadores do projeto enfatizam que estes robôs são muito mais importantes do que, apenas, proporcionar sexo. Não são bonecas com microchips, e sim, ferramentas criadas para gerar algoritmos sozinhos, para despertar as emoções do parceiro.

Um exemplo é o robô Mark 1, que se parece com a atriz Scarlett Johansson. Seu criador, Ricky Ma Tsz Hang, esclarece que Mark 1 não se destina a ser um robô erótico. Seu principal objetivo é que o robô possa realizar várias atividades, como: tarefas domésticas, preparar a comida de uma criança e até proporcionar companhia a um parente idoso.

O mercado atual de robôs:

Já existem países comercializando algumas unidades testes de robôs sexuais e os EUA já está levando a discussão da comercialização dos robôs para pautas do comitê político, como leis para regularização do produto no mercado e principalmente diretrizes para proibir algumas ações (como a compra de robôs sexuais com aspecto infantil).

No que isso pode interferir na segurança e saúde da mente humana?

Robô Sexual - Tecnologia - Manual do Casal Hype
Um engenheiro segura a cabeça de Samantha, uma boneca sexual com inteligência artificial. REUTERS/ALBERT GEA – Fonte: Site El País

É notório que os robôs sexuais podem fazer mal aos seus usuários de diversas maneiras. O próprio material do robô pode ser algo nocivo a saúde humana se conter substâncias tóxicas, como chumbo ou outro metal pesado, que poderia intoxicar o usuário por beijar ou lamber o robô. Sem contar a força e peso do próprio robô que poderia facilmente machucar ou esmagar alguma estrutura do corpo humano.

Quanto a segurança, as tecnologias que estarão atreladas a esses robôs têm como objetivo garantir o mais fidedigno comportamento com a realidade humana, mas que segurança isso poderá nos trazer sob o armazenamento de informações íntimas? Como será possível garantir que aquele momento/ato seja confidencial? É complicado parar para analisar todos os riscos a nossa segurança atrelados a uma nova “máquina”, pois, até que sejam criados robôs sencientes, eles continuam sendo apenas produtos.

E estes novos produtos podem gerar outros riscos e conflitos a mente humana. Atualmente já está cada vez mais difícil nos mantermos próximos da realidade e de relacionamentos palpáveis e de fato reais. Muitas pessoas criam e idealizam sentimentos por outros que nunca conheceram, tornando as ações reais ainda mais distantes, resumindo: se tornam mais introspectivos e fielmente acreditam que não existe uma outra pessoa bacana que possam se relacionar. Se as pessoas já possuem essas dificuldades agora, com a chegada dos robôs sexuais será exatamente o que a mente precisa para se isolar do desafio de interagir com o próximo, de lidar com as ações de se relacionar e os problemas que é preciso superar. Será difícil a mente humana conseguir diferenciar o que é real e do que é material.

Fonte: Site Él País

Como os robôs podem impactar o seu relacionamento?

Mesmo que a realidade de compra desses produtos no Brasil ainda seja um pouco distante, com certeza um dia ela irá chegar. E como nos preparar para essa nova tecnologia? Como não ter medo de “perder” para uma máquina?

Certamente o medo do desconhecido nos desafia, mas isso não significa que não possamos nos preparar para algo que, de fato, poderemos ver e participar. Já citamos diversas vezes aqui no blog a importância de manter um relacionamento equilibrado pelo diálogo, respeito, paciência e reciprocidade. Todos esses pilares não serão muito diferentes no futuro, seja com robôs sexuais ou não. É aquela famosa reflexão do copo meio cheio e meio vazio, qual dos lados você enxerga? Às vezes ter um robô sexual atrelado a sua relação poderá somar com as fantasias e desejos que o casal tenha. Pode ser que desperte ainda mais pontos de prazer, libido e até mesmo de consciência corporal, tudo vai depender do que você e seu/sua parceiro(a) acordarem e como irão utilizar este novo “brinquedo”.

Você não precisa esperar o futuro chegar para inovar no seu relacionamento e surpreender no sexo. O guia Manual do Sexo Moderno ensina muitos truques para sair da rotina e apimentar a sua relação.

Mas caso este novo produto venha para substituir alguma necessidade pessoal, em que o outro está sendo trocado pela máquina, certamente muitos pontos nessa relação terão que ser analisados, principalmente se é viável dar continuidade ao relacionamento.

O ser humano necessita de interação social. É da nossa natureza e devemos preservar essa ação comportamental. Que no futuro, mesmo com os avanços da tecnologia, possamos ter a consciência de amar mais as pessoas e usar mais as coisas, e não o contrário.

Achou toda essa história muito louca? Você não acredita que os robôs poderão substituir os humanos no futuro, ou acredita que isso já é um fato? Escreva aqui nos comentários e compartilhe a sua opinião. Acompanhe também nossas redes sociais e fique atualizado(a) com as nossas postagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *